Av. Nove de Julho 4939 - cj64 - Torre Europa | Jardim Paulista | São Paulo leandro@leandrobrum.com.br

Uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, a cirurgia de prótese de mamas, ou prótese de silicone, ainda possui alguns mitos. Vamos esclarecer alguns deles:

– Câncer: A prótese de silicone não causa câncer de mama e tampouco interfere nos exames de detecção. Existem vários estudos na área sobre o tema, um deles com mais de 11000 pacientes, onde não mostrou qualquer relação entre o uso da prótese e desenvolvimento da doença.

– Amamentação: Não há nenhuma interferência na amamentação, pois a prótese mamária fica localizada atrás do tecido mamário, onde é produzido o leite materno. O que a prótese de silicone faz, é apenas empurrar o tecido mamário para frente. Mas para isso, é preciso que a prótese tenha um tamanho adequado para o corpo da mulher, pois em tamanho exagerado, pode trazer problemas.

– Rompimento sem trauma específico: Para romper uma prótese íntegra, seria necessário um trauma tão grande que colocaria em risco a própria vida do paciente. Com o tempo, pode haver a formação de Contratura Capsular, que é uma reação esperada do organismo. Quando isto ocorre, pode haver rompimento da prótese, porém as novas próteses de silicone de Gel Coesivo impedem que haja extravasamento de silicone no organismo caso ocorra ruptura.

– Troca: A prótese deve ser trocada somente quando apresentar sinais de contratura capsular, o que é possível detectar por exames de rotina. Não existe um prazo específico. Ela pode resistir por muitos anos sem necessidade de troca.

– Sensibilidade: Ao contrário do que se imagina, a colocação de prótese de silicone não altera a sensibilidade das mamas. Na cirurgia, pode ocorrer uma perda de sensibilidade, que é transitória e vai regredindo com o tempo. as, novamente vale frisar: um tamanho exagerado pode sim comprometer alguns nervos e causar esse efeito indesejado. Portanto vale sempre o bom senso na hora de escolher a sua.